terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Descoberta abre caminho para diagnóstico de câncer antes de tumor 'aparecer'


Cientistas britânicos descobriram uma proteína presente em muitos tipos de câncer, o que poderia, no futuro, levar a um exame único capaz de detectar várias modalidades diferentes da doença. A nova técnica deve auxiliar ainda no diagnóstico precoce da doença.

O grupo, baseado no Instituto Gray de Oncologia e Biologia da Radiação, relatou ao Instituto Nacional de Pesquisa de Câncer da Grã-Bretanha ter identificado câncer de mama em ratos semanas antes de um caroço inicial ser detectado.

A mesma proteína, chamada gamma-H2AX, é encontrada em tumores de pulmão, pele, rins e bexiga e é produzida como uma reação do organismo a DNA danificado.
De acordo com os cientistas, este é um dos primeiros indícios de que uma célula está se tornando cancerígena.

Continue lendo...
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/11/121106_exame_cancer_jp.shtml

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Rede Nacional de Desenvolvimento e Inovação de Fármacos Anticâncer tem regimento interno aprovado


27/09/2012 - A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (SCTIE/MS) publicou portaria no Diário Oficial da União, nesta quarta-feira, 26, instituindo a Rede Nacional de Desenvolvimento e Inovação de Fármacos Anticâncer (Redefac) e seu regimento interno. O objetivo da rede é promover o desenvolvimento científico e tecnológico de fármacos, medicamentos e produtos para diagnóstico em oncologia, a fim de atender às demandas do Sistema Único de Saúde (SUS).

Fonte: INCA

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Paciente sem possibilidade de cura poderá recusar tratamento Decisão do Conselho Federal de Medicina começa a valer nesta sexta-feira Estado de Minas Publicação: 31/08/2012 07:21 Atualização: 31/08/2012 07:56 São Paulo –

A partir desta sexta-feira, o Conselho Federal de Medicina (CFM) passa a permitir que um paciente dê orientações ao médico sobre tratamentos que não queira receber em casos de doença terminal ou crônico-degenerativa sem mais possibilidades de recuperação. Sob o nome formal de diretiva antecipada de vontade, mas já conhecido como testamento vital, trata-se do registro do desejo expresso do paciente em documento, o que permitirá que a equipe que o atende tenha o suporte legal e ético para cumprir essa orientação. O paciente poderá escolher, por exemplo, se não quer procedimentos de ventilação mecânica (uso de respirador artificial), tratamentos (medicamentoso ou cirúrgico) dolorosos ou extenuantes ou mesmo a reanimação na ocorrência de parada cardiorrespiratória. Esses detalhes serão estabelecidos na relação médico-paciente, com registro formal em prontuário. Saiba mais... Tratamento de vítimas de câncer pode chegar a US$ 8 bilhões em 2030 Hormônio no corpo humano pode ajudar no tratamento de doenças neurodegenerativas Brasil gasta mais de R$ 20 bilhões para tratar doenças relacionadas ao tabaco Brasil vai produzir vacina que protege contra quatro doenças de uma única vez De acordo com a Resolução 1.995, publicada hoje no Diário Oficial da União, o testamento vital é facultativo, poderá ser feito em qualquer momento da vida (mesmo por quem está em perfeita saúde) e modificado ou revogado a qualquer momento. Está apta a expressar sua diretiva antecipada de vontade toda pessoa maior de 18 anos ou que esteja emancipada judicialmente. Crianças e adolescentes não estão autorizados nem os pais podem fazê-lo em nome dos filhos. Nestes casos, a vida e o bem-estar deles permanecem sob a responsabilidade do Estado, segundo a resolução. O registro da diretiva antecipada de vontade pode ser feito pelo médico assistente em sua ficha médica ou no prontuário do paciente, desde que expressamente autorizado por ele. Não são exigidas testemunhas ou assinaturas, pois o médico tem fé pública e seus atos têm efeito legal e jurídico. O registro em prontuário não poderá ser cobrado, fazendo parte do atendimento. O paciente poderá também registrar sua vontade em cartório, mas o documento não será exigido pelo médico. Independentemente da forma – se em cartório ou no prontuário – essa vontade não poderá ser contestada por familiares. O único que pode alterá-la é o próprio paciente. “Com a diretiva antecipada de vontade, o médico atenderá ao desejo de seu paciente. Será respeitada a vontade do doente em situações em que o emprego de meios artificiais, desproporcionais, fúteis e inúteis para o prolongamento da vida não se justifique eticamente”, afirmou, em nota, o presidente do CFM, Roberto Luiz d’Avila, em nota publicada pelo conselho. Para o conselho, o testamento viral não caracteriza eutanásia, que é proibida pelo Código de Ética Médica. Em vigor desde abril de 2010, o código deixa claro que é vedado ao médico abreviar a vida, ainda que a pedido do paciente ou de seu representante legal (eutanásia). Mas, atento ao compromisso humanitário e ético, prevê que nos casos de doença incurável, de situações clínicas irreversíveis e terminais, o médico pode oferecer todos os cuidados paliativos disponíveis e apropriados (ortotanásia).

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O objetivo deste espaço é centralizar informações sobre câncer de intestino delgado, fornecendo aos portadores maiores esclarecimentos e criando uma rede com a finalidade de cobrar das autoridades tratamento para o mesmo.

Atualmente não existe tratamento específico para tumor de intestino delgado e pouca literatura. Desta forma, peço que divulguem e acrescentem informações sobre o assunto.

Obrigado.
Maria

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Câncer de intestino delgado

É uma forma rara de câncer que ocorre quando as células cancerosas são encontradas nos tecidos do intestino delgado. Existem vários tipos de câncer de intestino, o mais comum é o adenocarcinoma. Exceto para o adenocarcinoma, outros tipos de câncer de intestino delgado é o sarcoma (tumor começa no tecido conjuntivo ou de suporte), carcinóides, tumores do estroma gastrointestinal e linfomas (começa em células do sistema imunológico).
Cancer de intestino delgado - Causas, sinais e sintomas

- Embora o câncer de intestino é rara, é importante estar ciente dos potenciais sinais e sintomas da doença. O cancro do intestino pode ser difícil de digerir os alimentos e podem causar sangramento do tumor e fezes negras. Muitos dos sintomas associados com câncer de intestino também pode resultar em outros problemas, como síndrome do intestino irritável (IBS) e úlcera péptica.

Os sintomas do câncer de intestino incluem:

* Dor abdominal, cólicas (ou seja, após manancare)
* Perda de peso inexplicada
* Sentindo-se fraco ou cansado
* Náuseas e vômitos
* Sangue nas fezes, presença de sangue vivo ou fezes escuras tipo borra de café
* Uma protuberância no abdômen
* Icterícia
* Perda de apetite

Cancer de intestino delgado - Tratamentos

As formas mais comuns do tratamento do câncer do intestino incluem cirurgia, radioterapia e quimioterapia. A cirurgia é a mais antiga forma de tratamento que envolve a remoção física do câncer e, em muitos casos, e alguns tecidos à sua volta. A radiação é frequentemente usado em combinação com outras opções de tratamento, ou quando a remoção cirúrgica do câncer não é possível. A radioterapia envolve o uso de raios de alta energia para matar ou retardar o crescimento tumoral. Assim como a radioterapia, a quimioterapia é frequentemente usado em combinação com outras opções de tratamento. A quimioterapia é uma combinação de produtos químicos usados para matar ou retardar o crescimento tumoral.

Fonte: http://pozemedicale.org/Portugal/Cancer/Cancer_do_intestino_delgado-fotos.html

O que é Câncer?

O câncer é definido como um tumor maligno, mas não é uma doença única e sim um conjunto de mais de 200 patologias, caracterizado pelo crescimento descontrolado de células anormais (malignas) e como conseqüência ocorre a invasão de órgãos e tecidos adjacentes envolvidos, podendo se disseminar para outras regiões do corpo, dando origem à tumores em outros locais. Essa disseminação é chamada de metástase.

As células doentes podem ser muito agressivas, mas, a partir da década de 80 a maioria dos tumores malignos passou a ser tratado e os índices de cura são atualmente muito elevados. Por outro lado, um tumor benigno significa simplesmente uma massa localizada de células que se multiplicam vagarosamente e se assemelham ao seu tecido original.

Os diferentes tipos de câncer correspondem aos vários tipos de células do corpo. Outras características que diferenciam os diversos tipos de câncer entre si são a velocidade de multiplicação das células e a capacidade de invadir tecidos e órgãos vizinhos ou distantes (metástases).

Fonte: http://www.abrale.org.br/doencas/cancer/index.php?area=cancer

Essa é minha história...acompanhe.

Descobri que tenho cancer por acaso. Sentia dores nas costas, tudo indicava pedra nos rins. Após realização da tumografia foi identificada uma massa tumoral que comprimia o ureter, assim, o urologista resolveu fazer uma biopsia.
Durante o procedimento, tiveram que passar para uma cirurgia maior, ou seja, de vídeo para abertura do abdomem, por terem identificado que o tumor havia perfurado o intestino delgado.
Após análise patológica, descobri que tenho adenocarcinoma no intestino delgado, grau histológico III.
A partir deste momento, iniciei a quimioterapia...

Quatro meses depois, ao final do primeiro ciclo da quimioterapia, comecei a sentir dores abdominais, após realização de vários exames, com resultados negativos, a tomografia novamente constatou a recidiva do tumor, no mesmo local, porém desta vez acomentendo o ureter, intestino delgado e bexiga.
O tumor foi ressecado por completo e confirmado por análise patológica a residiva do tumor.
Neste momento, estou fazendo acompanhamento nutricional para não perder peso, irei retomar a quimioterapia, porém com outra droga e estamos analisando a possibilidade de radioterapia.

Decidimos fazer 28 sessões de radioterapia, durante vinte oito dias úteis, além da quimioterapia, não está fácil, vivemos um dia por vez, superando os efeitos colaterais como náuseas, alguns desconfortos abdominais e às vezes diarréia.

Sabemos (eu e minha família) que tudo vai passar, é apenas uma fase....

Então pessoal, boas novas...

Em setembro finalizei a quimioterapia e realizei um check-up e graças a Deus, não tenho nada, meus exames estão ótimos, sem nenhuma alteração.
Agora vamos acompanhar, fazer visitas periódicas ao oncologista e a cada 3 meses realizar exames de imagem.
Estamos em 28/11 e tudo certo, me sentindo novo, ou melhor quase.
Em dezembro terei uma consulta com urologia que irá estudar a melhor alternativa de reversão da nefrostomia.

Até breve e obrigado pelo carinho e oração.

O que é um adenocarcinoma?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Adenocarcinoma é um câncer (neoplasia maligna) que se origina em tecido glandular. Para ser classificado como um adenocarcinoma, as células não necessariamente precisam fazer parte de uma glândula, contanto que elas tenham características secretórias. Esta forma de carcinoma pode ocorrer em alguns mamíferos, incluindo humanos.[1]

O termo adenocarcinoma é derivado de 'adeno', que significa 'pertencente a uma glândula' e 'carcinoma', que descreve um câncer que se desenvolveu em células epiteliais.

Ele pode se originar inicialmente como um adenoma (um tumor glandular que é benigno).

Ensaios clinicos????

Ensaios clínicos são pesquisas em que o paciente pode se voluntariar a participar . MD Anderson usa experimentações clínicas para encontrar melhores maneiras de prevenir, diagnosticar e tratar o câncer.

Os ensaios clínicos são parte de um processo longo e cuidadoso, o que pode levar muitos anos. Primeiro, os médicos estuda um novo tratamento no laboratório. Em seguida, eles muitas vezes estudam o tratamento em animais. Se uma nova mostra a promessa de tratamento, os médicos, em seguida, testar o tratamento em pessoas.

Por favor, utilize nosso livreto ensaios clínicos para ajudar você a tomar a melhor decisão para você e sua família.

FONTE: http://www.mdanderson.org/patient-and-cancer-information/cancer-information/clinical-trials/index.html